Arequipa – a cidade nascida do vulcao

12 04 2013

Chegamos em Arequipa sem muitas expectativas, já que o principal passeio, o tour pelo Cañon de Colca tínhamos descartados. Mas, como o destino nos prega peças, calhou que justamente aqui tivéssemos nosso único anfitriao pelo CouchSurfing, isto é, pela primeira vez em toda a nossa vigem ficaríamos na casa de um local. Nosso “host” em Arequipa foi o Maurício, um cara que sabe muito a respeito de sua terra natal e seu país. Aliás, nossa sorte em relaçao ao CS Peru está demais.Maurício nos recebeu de braços abertos e foi um superguia no dia e meio que passamos por ali.

Conhecemos o centro histórico todinho da Cidade Branca (assim é conhecida Arequipa, pois a maioria de suas construçpes sao feitas de sillar, pedra originada da lava do vulcao El Misti). E aqui vivemos, mesmo que por apaenas um dia, a vida do peruano comum.

Detalhe da torre da Catedral de Arequipa

Detalhe da torre da Catedral de Arequipa

Em Arequipa também desbravamos mais a cozinha regional, com direito a Adobo (soba ppicante de carne de porco), queso helado (espécie de sorvete local feito de leite batido, baunilha, coco e canela) e os anticuchos (espécie de churasquinho de coraçao acompanhadfo de milho e batratas).

Após um dia e meio explorando tudo que a segunda maior cidade peruana tem  oferecer tive a sensaçao de que as experiências pessoais definem a qualidade da viagem. Em Arequipa, meu ponto de vista foi baseado nos do Maurício que nos deu uma verdadeira aula de cultura e história peruana, o que mantém  viva a chama dentro de mim de fazer cada ez mais viagens mundo a fora, e compartilhar com os visitantes tudo aquilo que sei sobre a cidade em que vivo.

Depois disso, nosso caminho nos levaria até Nazca, terra das linhas gigantes e misteriosas, onde aflorou em mim o pequeno Indiana Jones que fui quando criança, um ser capaz de sonhar grande, como se o sonho fosse se tornar sempre realidade. Só que, desta vez, aconteceu.

Anúncios