O Papa eh Pop!

7 08 2009
No alto da cúpula da Basílica de São Pedro - Vaticano

No alto da cúpula da Basílica de São Pedro - Vaticano

Não sei o que passa comigo, mas a estadia na Itália esta me causando grandes emoções. Os dois últimos dias foram bastante especiais, por isso nem escrevi antes porque queria algo que pudesse mostrar o quanto pra mim foi importante visitar os lugares que começo a descrever agora.

Desci da estação do metro e como de costume uma cabeçada de gente seguindo o fluxo, parecia bloco de carnaval, mas sem trio elétrico. Cada passo que eu dava aumentava a ansiedade, o vaticano estava a três quadras de distancia.

Atravessei as colunas de mármore e lá estava eu, na praça de São Pedro, em frente à Basílica, principal igreja do mundo, casa do papa. Foi então que o mundo parou. Não ouvi mais nada, não vi mais ninguém, só a imponência das construções ao meu redor e senti o peso histórico no ar. Fiquei parado por uma eternidade de cinco minutos sentindo arrepios e me beliscava pra ver se era verdade, eu estava no coração do Vaticano.

Quem me conhece sabe que não sigo o catolicismo faz tempo, e que parei de ir a missa ha uns quinze anos, mas como disse anterior, não foi questão religiosa e sim a importância do lugar, seu contexto. E, é claro sua beleza.

Depois de voltar pra realidade fui encarar a fila pra entrar na basílica. Era gigantesca, mas andava bem rápido, então não foi nada demais. Entrei e escolhi primeiro subir até a cúpula da igreja, e mal sabia eu que isso significaria pagar todos os meus pecados dos 27 anos de vida.

A penitência consiste em subir 521 degraus, não estou exagerando. Os degraus são de tamanhos variados, em algumas partes a escada tem a largura do meu ombro. Mas ao alcançar o topo é possível ver Roma inteira, 360 graus. Espetacular, por aquela vista eu subiria o dobro. E eu não sou o único a pensar assim.

Ao voltar pro chão entrei na basílica propriamente dita, uma quantidade infindável de esculturas e detalhes em mármore e ouro de deixar qualquer um tonto. E num canto meio escondido, mas bastante lotado fica a obra prima da basílica, a escultura “La Pietà”, de Michelangelo que mostra Maria segurando Jesus morto, impressionante.

Dentro da Basílica

Dentro da Basílica

De lá fui para as tumbas dos papas, mas eles fecharam às 13 horas e minha decepção foi imensa, pois o que mais queria ver eram as referencias sobre João Paulo II, quem admirei sempre e ainda gosto muito.

Como não adiantava chorar sobre o leite derramado, prometi a mim mesmo que voltaria na manha seguinte, que não deixaria Roma sem ver o tumulo de JP II. E como premio de consolação fui ao museu do vaticano, um labirinto. O ponto alto é a capela sistina, mas antes os caminhos nos levam a múmias egípcias, estatuas gregas, cerâmicas romanas e as obras sacras. Quando as pernas já não agüentam mais andar começam a aparecer os afrescos.

Ao fim de quase uma hora de caminhada finalmente a capela com uma das pinturas mais famosas do mundo, o afresco de criação do homem, também de Michelangelo, aquela cena em que deus e o homem esticam seus dedo indicadores tentando se tocar.

Sai do vaticano ainda sob efeito da adrenalina de ver tantas obras famosas, tanta beleza arquitetônica e com mês pés em frangalhos. Mas ainda encontrei forcas pra caminhar mais um pouco, alias muito, e visitar a piazza dei spagna, vila borghese e outras atrações menores.

De volta ao albergue tomei banho e me arrumei pra noitada. Fui com uma galera do couch surfing pra uma noite de salsa. Bem legal, musica ao vivo, gente que realmente sabia dançar salsa, e conheci, vários latinos que moram aqui, argentinos, cubanos, mexicanos, ainda conheci italianos, americanos e franceses, foi interessante.

Acordei cedo determinado a ir novamente ate a basílica de São Pedro e descer para as catacumbas. Nem a fila com o dobro de tamanho do que a do dia anterior foi capaz de me deter. Enfrentei sol, calor e multidão e tudo valeu a pena.

Entrei na zona sagrada das tumbas, com túmulos de papas de todos os tempos, o mais velho que vi a mostra foi de um que viveu no século VIII. E não agüentava de ansiedade pra chegar na de João Paulo II, quando vi uma galera parando atrás de uma corda e se ajoelhando, pensei… É ali.

Apertei o passo e não olhei pro lado. Quando cheguei lá novamente uma onda

Na praça de São Pedro, coração do Vaticano

Na praça de São Pedro, coração do Vaticano

papa, lembrei das vezes que foi ao Brasil e como sempre foi simpático,lembrei de como fiquei triste quando ele morreu, e também pensei em o quanto queria que minha avo estivesse ali comigo pra ver também. E nesse somatório de pensamentos mais uma vez me arrepiei até as canelas e não segurei a emoção e três lagrimas caíram em homenagem ao papa mais popular de todos.

Fiquei ali olhando a sepultura por pelo menos 20 minutos, sem pronunciar palavra, sem desviar o olhar, sem pensar em nada. Mas meu momento de meditação era interrompido a todo instante pela cambada de turista sem educação que faziam esporro apesar dos pedidos de silencio em 5 línguas diferentes, e espocavam flashes apesar das inúmeras placas de proibido fotografar. Descobri que o trabalho mais estressante do mundo é do guardião do tumulo do João Paulo II, ele sozinho tem que fazer com que as pessoas não parem no lugar da passagem, que ninguém tire fotos escondidas, tem que atender o pedido dos fieis que solicitam que seus terços e santinhos sejam abençoados com um toque no mármore do tumulo, o cara não pode piscar, virou meu herói, pois tem que ter muita disposição pra aturar.

Dali sai, fui almoçar e andei mais um pouco ao redor e voltei cedo pro albergue porque precisava escrever no blog, preparar alguns detalhes da seqüência da viagem e ver o que rola hoje porque é sexta !

Ah, antes que eu me esqueça – o Bento XVI esta em retiro, por isso não foi possível trocar uma idéia com o malandro, mas pra mim o papa sempre será o JP II.

Pátio do museu do Vaticano

Pátio do museu do Vaticano

Para fotos sagradas: Vaticano

Anúncios

Ações

Information

4 responses

7 08 2009
Nivia

Parece até que estou lendo um livro… só que mais legal, pq conheço o personagem, rsrs.
Todos dizem como esta visita é emocionante, mas acho que só pessoalmente mesmo p/ saber. No entanto, com suas palavras senti vontade de um dia fazer o mesmo (beeeem mais p/ frente, rs), afinal… tem apenas uns 05 anos que deixei de ir à missa, rsrsrs. Bjos, e aproveita bastante!

8 08 2009
Priscila Veras

Emocionante!

8 08 2009
Gláucia

Rogério, está sendo muito emocionante te acompanhar. Lindo o texto, me emocionei bastante com suas palavras, e como a Nivia disse parece realmente que estamos lendo um livro, daqueles melhores, que entre os mais vendidos. vc escreve muito bem!

Beijos e aproveite!

8 08 2009
mãe, vó e dinda

Oi amado filho, neto e afilhado
nosso principe querido, estamos felizes por estar aproveitando e realizando seus sonhos. Ficamos bastante emocionadas pela força de suas palavras. A vovo diz que sua meditação foi um momento se benção que vc recebeu do JP II.
eu sou doida para conhecer a Italia, agora estou mais ainda, pois suas descrições ao mesmo tempo que promovem que viajemos com voce, mas tambem aguçam o cesejo se dorvermos as mesmas emoções.

o netfone, para variar, ta com defeito

sua mãe sente muitas, mas muitas saudades messsssssssssmo de voce.
Acompanhamos cada nova postagem com fome de leão, devorando cada aventura com gosto, viajando junto com voce
bjkarinhosa destas que te amam muuuiiiiiito!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: