Encontro com o mestre

9 03 2008
chi 81

Reñaca debaixo de chuva

Acordei e deixei tudo prontinho.  Queria chegar logo em Valparaíso. Adam e Aliza foram comigo. Fomos  direto para a estação de ônibus tentar a sorte, mas sorte é o que menos se precisa no quesito ir de Santiago pra Valparaíso, tem pelo menos três companhias com partidas a cada 15 minutos o dia todo o dia e o dia todo. Compramos a passagem e 5 minutos depois estávamos a caminho da praia.

1h40 depois chegamos ao destino final e mal você pisa no chão de Valparaíso uma horda de meninas oferecem passeios e visitas guiadas pela região, alias, Valparaíso e Viña Del Mar são praticamente a mesma cidade, você nunca sabe onde uma termina e a outra começa, e o transporte é o mesmo para as duas. E juntas tem quase um milhão de habitantes.

Decidimos fazer um citytour pois Adam e Aliza só ficariam por uma tarde por lá, e também porque a guia disse que me levaria ao hotel pra deixar as coisas, o hostel fica no alto de uma puta ladeira, como tudo por aqui.

chi 90

um dos inúmeros funiculares que escalam as colinas de Valparaíso

Para fazer uma parca analogia Valparaíso é santa Tereza, muito boemia, colorida e cheia de ladeiras e curvas, e no lugar de bondinhos, funiculares. Já Viña Del Mar é a Barra da Tijuca com prédios luxuosos recém-inaugurados, restaurantes finos e reduto dos abastados.

Então começamos o tour por Viña e  o museu sobre a ilha de Páscoa. Não entramos porque o preço não valia a pena. Só tirei foto em frente a uma verdadeira estatua Moai trazida diretamente de lá. Depois, ainda em Viña, fomos ao parque municipal, que era o jardim da mansão do fundador da cidade e hoje também abriga o anfiteatro do famoso festival da canção, que rolou ha duas semanas atrás.

Em seguida fomos a Reñaca outra praia mais alem, mas o tempo estava horrível e quase não vimos nada, ate o campeonato de surf estava suspenso. Pausa pro almoço e voltamos pra Valparaíso e exploramos as ruas coloridas.

A parada principal foi em La Sebastiana, a casa de um de meus mentores: Pablo Neruda. A casa hoje abriga um museu em homenagem ao poeta, com uma vista fantástica da cidade, e que explica de onde tirava sua inspiração. Neruda alem de poeta era visionário e revolucionário e também bastante cativante, e isso se reflete na residência toda colorida e nada muito  simétrico. Visitá-lo foi uma experiência transcendental, como se eu estivesse ali conversando com ele, ouvindo seus conselhos.

chi 113

La Sebastian, casa do mestre Neruda

ainda sob efeito da visita meu olhar para Valparaíso era sempre muito poético, também porque a cidade é colorida e boemia.  Visitamos a região do Porto que é o principal do Chile. subimos em um funicular do Séc. XIX, mas outra vez a chuva atrapalhou. Chegamos ao fim do passeio na rodoviária de novo, me despedi dos australianos, mas os encontrarei no Rio em breve.

Caminhei até a estação do trem e duas estações depois subi em direção ao hostel, na praça pouco antes realizei mais um dos sonhos desta viagem, comprei a antologia fundamental de Neruda numa feira de livros usados, obviamente na versão em espanhol, não podia me dar um presente melhor.

No albergue preparei a minha própria janta com risotto instantâneo e um molho de cebola acompanhado de suco de morango. Comi e conversei com gente de todo o canto até altas horas, mas sempre com os versos do mestre em minha mente.

chi 116

Valparaíso vista do alto

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: