Encontros e reencontros

6 03 2008
chi 60

subindo no teleférico de Santiado

Eu queria ter acordado mais cedo, mas ficar acordado ate quase 4h da manhã atualizando álbum  e blog me deixou com um tanto de preguiça. Mas acho que assim foi melhor pois a programação do dia estava completamente distorcida.

Como mais uma vez acordei depois da hora do café da manhã, fui logo tomar banho e desci pra sala de comida, na geladeira ainda tinha umas frutas que deixei e avelãs chilenas e amendoins com alho, este foi meu café da manha.  E eu estava lá no meio de um tiozão australiano, um moleque do interior da Inglaterra e duas alemãs. Estava tranqüilo comendo minha tuna e a loirinha supergata virou e disse em inglês: – Você não estava no mesmo quarto que eu no albergue em Colônia? Ai me dei conta que era a mesma alemazinha que ajudei a achar o endereço da hospedagem na minha ultima parada no Uruguai.

Começamos a conversar sobre o que tínhamos visitado desde nosso ultimo encontro e que não tinha sido uma boa idéia ela ficar três noites em Colônia, pois em duas horas e meia você visita tudo na cidade. E no meio na conversa alguém bate no meu ombro e diz em um português de sotaque super carregado: – E aí, carioca?

chi 71

Pátio interno do palácio La Moneda

Era o Peter, polonês que conheci em Mendonza e que veio por Rio passar cinco dias e ficou três meses. E junto com ele outro inglês que estavam no mesmo albergue. Nos cumprimentamos e começamos a falar sobre Mendonza e  o caminho através dos Andes. E nisso Adam, um dos australianos, apareceu com a maior cara de ressaca, e realmente ainda estava meio caído.

O polonês e o inglês resolveram ficar no albergue dormindo pois passaram noite toda viajando, e eu segui com Adam e Aliza pra dar um role pela cidade. Primeiro paramos num mercadinho  pra eles comprarem algo pra comer e eu comprei mais pilhas. Paramos pra comer no gramado da Plaza de La Aviacion, costume muito difundido entre os chilenos, se esparramar nas praças e parques da cidade e ficar la, comendo ou dando uns amassos, não importa.

Depois da rápida parada fomos caminhando até a entrada do Parque Metropolitano, onde tem o Cierro de la Virgen e lá em cima um santuário. Tomamos o funicular pra subir, um tipo de plano inclinado. La do alto uma visão incrível da cidade toda que é completamente plana.  E pra descer o maior desafio, tomar o teleférico que e um ovo pendurado num fio e balança pra cassete!

E fomos nos três e olha que eu e o Adam temos mais ou menos as mesmas proporções, foi punk ficar sacudindo la em cima, e pior era quando arrastava em alguns galhos das arvores. No meio da descida há uma estação intermediaria, demos um voltinha, mas nada de muito interessante, voltamos pro teleférico. No final saímos em um bairro residencial de Santiago muito simpático. Pegamos o metro e fomos direto por centro de novo.

chi 66

no metrô em Santiago

Desta vez era possível entrar no La Moneda, mas pra isso a segurada te obriga a abrir todos bolsos, mochilas, carteiras e ate garrafas, eles mandam você beber um gole pra provar que não é veneno ou inflamável. Se eu ao menos tivesse ligado pra Michele antes ela evitaria que eu passasse por isso.

A visita la dentro é rapidíssima. Você entra por um lado e tem que seguir direto pelo pátio ate a saída do outro, pois se você ameaça mudar de direção já vem um carabinero dizer que não pode. Saímos um tanto desapontados, pois esperávamos visitas guiadas ou algo assim, não teve a menor graça.

A saída era seguir em direção ao mercado pra almoçar, no caminho parada estratégica na Plaza de las Armas pra nova visita a catedral de Santiago. Eu não canso de ir lá e os australianos que não estavam tão interessados ficaram impressionados com a beleza do lugar e agradeceram por eu ter insistido em entrar.

A um pulo dali o mercado. E logo na entrada fomos cercados por garçons dos restaurantes tentando nos convencer a parar pra comer. então eu vi que na verdade la dentro existe dois enormes restaurantes e alguns pés-sujos, alem das barracas de peixes e de frutas e ervas.  Um desses garçons começou a falar em português arrastado comigo, dizendo que os melhores lugares no rio são a 4×4 e  a  Cicciolina, e ainda dizendo que os daqui também são bons. Atrás passaram dois mineiros e ele começou a dizer nome de puteiros de BH, inacreditável!

chi 69

Praça das bandeiras

Nos o deixamos pra trás e eu voltei na mesma tenda pra beber mais uma inca cola, e o Adam comprou uns amendoins. No fim das contas resolvemos comer no shopping mesmo. Eu comi um omelete de acelga co cenouras acompanhado de purê de batata e legumes cozidos, Adam a mesma coisa e Aliza um sanduíche de queijo branco, tomate e feijão verde, meio sem gosto. De sobremesa fui no Yogen Fruz de novo, pois estava ótimo ontem. desta vez pedi framboesa e amora, uma maravilha.

Voltamos caminhando tudo de novo e eles se limitavam a ver as coisas só do lado de fora mesmo. Apesar de ter voltado na maioria dos lugares que fui ontem me diverti bastante, e Santiago não tem tantas atrações quanto Buenos Aires. Mas é uma ótima cidade pra se viver, bem limpa e organizada. E bem moderna.

Amanhã acordo cedo pra ir pra Valparaíso,

 

Anúncios

Ações

Information

One response

6 03 2008
dinda

oi Ro
fiquei curiosa com o sabor do sorvete de yogurte, deve ser bom mesmo
mas o flusão, hiphurra!!!!!!!!!!!!!!!!!
6×0 nos hermanos, foi uma maravilha
que bom que (re) encontrou amigos
divirta-se
bjk
dinda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: